Miwak's Blog

Quanto mais vivo, quanto mais ínspidas me parecem as pequenas satisfações que a Vida me dá, mais claramente compreendo onde eu posso procurar a fonte das alegrias da vida.

Aprendo que ser amado me faz bem, enquanto quando amo é tudo.

A beleza física é passageira.

E a saúde é um estado tão frágil e particular. Cada um tem a saúde que sente.

Há doentes cheios de vontade de viver e há sadios que definham angustiados pelo medo de sofrer.

A felicidade é amor, só isto.

Feliz é quem sabe amar…

Feliz é quem pode amar muito…

Porém, amar e desejar são sentimentos distintos.

O amor é o desejo que atingiu a sabedoria.

O amor nada quer possuir.

O amor quer somente amar…

A jornada, está apenas começando.

Porque a melhor parte, não é encontrar o homem que você ama.

É viver ao lado dele.

Eu só tenho um amor para oferecer.

E, na maior parte das vezes,

esse amor é aquele,

que ninguém vê.

Até que um dia,

uma garota,

resolveu mudar a história.

Ao invés de:

“Não quero sofrer.”

Ela disse:

“Prazer. E você, quem é?”

Eu sou aquele,

do primeiro beijo,

ao arrepio e tremor no joelho.

Que todos os dias vai acordar e,

enviar uma mensagem:

“Bom dia.”

Que todas as noites, antes de dormir,

vai ligar e dizer:

“Boa noite. Até amanhã.”

Eu sou aquele,

que vai esperar você secar o cabelo,

para roubar um beijo.

Que vai te abraçar, girar e,

tirar o seu ar.

Eu sou aquele,

que vai andar de mãos dadas e,

ficar do lado de fora da calçada.

Que está disposto,

a esperar a noite toda,

para beijar a sua boca e,

descer até a nuca.

Arrepia, né?

Eu sou aquele,

que vai pegar a sua mão pequena e,

te chamar pra dançar.

No início,

não vai dar muito certo.

Sou tímido.

Vou pisar no seu pé e,

abrir aquele sorriso meio bobo.

Eu sou aquele,

que vai achar engraçado,

o seu all star furado.

Que vai dirigir por horas,

para te buscar na porta.

E claro,

vou esperar do lado de fora do carro.

Eu sou aquele,

que depois da primeira vez,

vai dançar com você em cima da cama,

ao som de Michael Bublé.

Eu sou aquele,

que antes de ir,

vai fazer cafuné e,

esperar você dormir.

Que colo e,

coração acelerado,

não é por acaso.

Eu sou aquele,

que vai deitar na areia e,

contar as estrelas.

Eu sou aquele,

que não precisa de hashtags ou anel,

para ser fiel.

Sacanagem, só na cama,

tudo bem?

Ah!, não levante.

Só uma vez,

não é suficiente, ok?

Eu sou aquele,

que vai te ligar,

no meio da tarde.

Muitos acham isso bobo,

mas sempre vou dizer eu te amo,

na frente dos outros.

Eu sou aquele,

que vai te aceitar do jeito que você é.

Ansiosa, apaixonada e,

um pouco desajeitada.

CARAMBA! – ela disse.

Eu perguntei:

“O que foi?”

Bom, isso tudo realmente vai acontecer? – ela perguntou.

E se acontecer? – respondi.

Duvido!

Um mês, eu dou um mês para você se tornar um idiota. – ela respondeu.

Ok. — falei.

Não! NÃO! Três meses! – ela disse.

Ok.

NÃAOOO!!!! PARA!! SEIS MESES! – ela disse.

Ok. – respondi.

Ela se inclinou e,

me beijou.

Um ano se passou.

Ontem,

ela sentou ao meu lado e,

disse:

“Você fez tudo,

o que disse que iria fazer.

Obrigado,

por me oferecer um amor,

que ninguém vê.” – ela suspirou.

— Bem, assim — falei – esse amor não existiria,

se naquele dia,

você não tivesse dito “sim”.

Eu quero mais um ano – ela falou.

— Não — eu disse.

— Sério?  — ela perguntou, boquiaberta.

— Vem, chega mais perto — falei, baixinho —

Eu só tenho um amor para oferecer.

E, entenda,

esse amor é aquele,

que tem início,

mas não tem fim.”

 

Por: Ique Carvalho

Fonte: http://www.thebrocode.com.br/artigo-255-e-voce-quem-e/

13Ontem 20:00.

Meu pai escreveu no ipad:

“Pede uma pizza pra gente”

Ele não consegue comer sozinho.

Na parte do “biscoito” da pizza,

eu disse:

“Pai, será que você consegue comer isso?”

Ele abriu um sorriso.

Por favor, amo o biscoito. – ele respondeu.

Cortei pedaços pequenos e,

coloquei em sua boca.

Cinco segundos depois…

Deixou o ipad cair e,

começou a engasgar,

sufocar.

Soquei as costas dele.

A boca começou a tremer.

O rosto ficou roxo.

Minha mãe começou a gritar:

“ELE NÃO ESTÁ RESPIRANDO!

MEU FILHO, NÃO DEIXE SEU PAI MORRER.”

Gritei:

“VAMOS CHAMAR A AMBULÂNCIA PAI.”

Meu pai lentamente, piscou uma vez.

Uma vez é sim.

Naquele instante,

vi que ele estava partindo.

Levantei-o da cadeira,

abracei forte e,

pressionei o peito uma vez.

Duas,

três vezes.

Meus braços estavam cansados.

Minha perna tremia.

Joguei-o na cama.

Ele parou de respirar.

Meu coração acelerou.

Dei um soco no peito dele e,

gritei:

“NÃO MORRE PAI, RESPIRA!”

Ele não mexia e,

tinha dor nos olhos.

Dei outro soco e gritei:

“PAI! POR FAVOR VOLTA!”

Minha mãe chorando, disse:

“POR FAVOR. NÃO FAZ ISSO.”

Deu um beijo e,

abraçou meu pai na cama.

Mesmo quando tudo está perdido,

o coração traz você de volta.

Ele tossiu.

Voltou a respirar.

Comecei a chorar.

Minha mãe levantou e saiu chorando.

Sentei ao lado da cama.

Trinta minutos depois…

Ainda sem fôlego e,

assustado,

perguntei:

“Pai, porque isso está acontecendo?”

Ele pegou o ipad e,

com a mão ainda tremendo escreveu:

Meu filho,

Algumas pessoas escolhem culpar a vida.

Outras, escolhem lutar.

Nós, vamos lutar.

É nisso que eu acredito.

Você me salvou essa noite e,

sou muito grato por isso.

Nos momentos difíceis,

olhe pra trás e,

lembre-se das coisas boas que vivemos juntos.

Porque, quando eu partir,

são os momentos bons,

que vão me manter vivo no seu coração.

Agora, preciso fazer uma coisa.

Me coloque na cadeira de rodas e,

chame sua mãe.”

Coloquei-o na cadeira.

Minha mãe entrou no quarto e,

ficou parada na porta.

Ele:

“ENE, de onde você está, da para contar as estrelas?”

Não. – ela respondeu.

Ele:

“Então, sente no meu colo.

Vamos contar as estrelas.”

Ela sentou no colo dele.

Um abraço e,

dois olhares para o céu.

Ele:

“Coloque o ouvido no meu peito.

Consegue ouvir o meu coração?”

Sim. – ela respondeu.

Ele:

“Um coração cheio de amor,

não para de bater,

nem mesmo quando tudo está perdido.

Se um dia ele não bater,

lembre-se:

A única coisa que me traz de volta é,

o doce toque da sua boca.

Você é a única, que me faz respirar.”

Ela começou a chorar.

Ele:

“Ique, coloque uma música e,

gire a cadeira até ela acabar.”

Perguntei:

“Por que?”

Ele abriu um sorriso, e respondeu:

“Porque eu não quero morrer,

eu quero dançar.”

 

por: Ique Carvalho

fonte: http://www.thebrocode.com.br/artigo-227-volte-a-dancar/

Aprender a lidar com cada oportunidade profissional, o que realmente valorizar na vida e a importância de ser autor da própria realidade em vez de se sujeitar ao status quo.

 

1 • Oportunidades significam trabalho duro

Ver cada oportunidade como base para a próxima

 

2 • Ser inteligente é o verdadeiro “ser sexy”

A combinação mais sexy do mundo é ser inteligente, cortês e generoso. É apenas porcaria o que as pessoas vendem para fazer com que você se sinta inferior. Não compre isso. Seja inteligente, cortês e generoso.

 

3 • Construa sua própria vida

Quando crescemos temos a tendência a achar que é o mundo é como ele é, que a vida é viver dentro deste mundo, tentar não arrumar muitos problemas, estudar, conseguir um emprego, ganhar dinheiro e ter uma família.

A vida pode ser mais do que isso. Tudo ao nosso redor que chamamos de vida foi elaborado por pessoas que não são mais inteligentes que você. Então, construa uma vida – não viva uma, construa uma.

Imagem

Se cuida!

Posted on: 17/08/2013

Se cuida!

Eu Não Te Amo Pra Sempre

Eu tenho medo do pra sempre. O pra sempre é o vilão que insiste em transformar relações que foram felizes em fracasso diante dos olhos alheios. Paro e penso quanto tempo dura o pra sempre. Onde fica esse lugar do qual a gente passa a vida toda falando, a vida toda sonhando. De fato, nunca conheci alguém que tivesse estado lá. O pra sempre tem cara de mentira consciente. A gente sabe que não sabe chegar lá. Tentamos inventar caminhos, usar o GPS, pedir informação. Mas ninguém sabe informar.

O pra sempre virou quase expressão automática, que nem o Graças a Deus. A gente fala muitas coisas que não achamos que sejam obra de Deus – não estávamos exatamente agradecendo, mas quando vimos saiu. O pra sempre é assim também. Vou te amar pra sempre. Quero você pra sempre. Sempre que pronuncio uma dessas frases, meu cérebro alerta para a besteira que acabei de dizer. Não seja ridícula, ele afirma. Pra sempre é uma coisa distante demais, longe demais. Porque eu nem sei se vou acordar amanhã. O quadro que enfeita meu quarto, e que só encaixou em cima da minha cama, pode despencar a noite e partir minha cabeça em duas. E comigo, vai-se o pra sempre. Ou eu posso acordar e receber uma ligação sua dizendo que não me ama mais. Que não sabe o que aconteceu. De repente, acha que meu beijo ficou molhado demais. Ou que a forma como falo e mexo no cabelo está te dando nos nervos. E aí vou chorar pitangas no canto, eu e o pra sempre.

E, por isso, tenho que dizer que não te amo pra sempre. Te amar pra sempre é pesado demais. É responsabilidade demais. Não sei se aguento o fardo, não sei se dou conta. Não gosto de meias promessas. Mas posso te oferecer o meu amor de hoje, assim como fiz com o amor de ontem. Todos os dias quando acordo, penso que sorte tenho de estar viva. Mais uma noite em que o quadro manteve seu posto de decoração, invés de se tornar um assassino. E penso também em você. E penso, como tenho pensado há algumas centenas de dias, que te amo. Poderia ser diferente. Poderia não amar mais. Mas te amo.

E acho que amor seja que nem um carro – precisa de combustível pra funcionar. Se você não abastece, ele te deixa na mão em meio à Marginal às 6 da tarde, enquanto você ia pra aquela reunião importante. E não adianta xingar os quatro cantos, achar que a vida é injusta, que nada dá certo pra você. Você não colocou combustível. Menosprezou as necessidades do carro, assim como menosprezamos as necessidades do amor. Amor precisa de alimento. Não ache que ele dura pra sempre se você não cuidar. Amar dá trabalho mesmo. É que nem cachorro. Dá um trabalho enorme, mas você automaticamente esquece dos xixis no sofá ou do tapete rasgado quando ele te olha nos olhos e te tasca uma lambida. Aí você tem certeza que valeu a pena.

A gente combinou que não mentiria para o outro. E eu não posso te dizer que vou te amar pra sempre. Estaria quebrando o contrato. E não quero te ouvir dizer que me quer pra sempre. Não gosto de identificar uma mentira em meio a todo o resto que considero verdadeiro. Quero sim ouvir eu-te-amo. Muitos deles. Mas preciso ter a certeza que cada vez que um eu-te-amo sai da sua boca foi porque, naquele exato momento, você está me amando muito. Porque cada eu-te-amo que solto, vem naqueles momentos em que o amor é tão grande, que não cabe dentro de mim. Não cabe também dentro dos beijos. Nem dos carinhos no seu cabelo. Nem daquela pegada no seu pau. E aí ele pula pra fora, verdadeiro e explosivo.

E, nesses momentos em que te amo demais, me dá uma vontade imensa de dizer que te amo pra sempre. Que vou amar pra sempre aquela conchinha gostosa. Que vou amar pra sempre o jeito como você me pega com força e me abraça com seus braços grandes. Que vou amar pra sempre seus conselhos que sempre se provaram coerentes. Que vou amar pra sempre quando você percebe que eu estou sem sono e faz aquele carinho infalível na minha nuca, pra eu pegar no sono com você. Mas me seguro, porque não quero mentir pra mim e nem pra você. Não consigo imaginar o dia em que não mais amarei cada pedacinho seu. Mas a experiência me provou que dessa vida, nada sei.

Hoje eu vibro com cada uma dessas coisas que me fazem te amar. E sei que te amo porque você tem a capacidade de fazer cada célula do meu corpo vibrar como ninguém mais conseguiu. Mas não posso te dar o que não possuo – o meu amor futuro. E talvez a incerteza do sentimento – do meu e do seu – seja justamente o combustível do meu amor. Sei que amo hoje. E sei que você não me pertence. Sei que estamos juntos nessa trajetória emocionante da vida porque assim queremos. E que assim seja enquanto as mãos dadas nos fizerem felizes.

por Jaque Barbosa